quinta-feira, 25 de novembro de 2010

EGOÍSMO


Não compreendo que tragas um passado,
Tu devias esperar-me
Devias adivinhar que eu chegaria em tua vida...

Não devias trazer na beleza tristonha
Dos teus olhos verdes
Vultos estranhos;
Nem nas tuas mãos, inquietas como folhagens,
Invisíveis tatuagens
Como rastros de carícias que passaram;
Nem devias trazer nos teus lábios rosados
Essa umidade das flores
Que já desabrocharam...

Queria que as tuas mãos fossem folhas em branco
À espera da minha inspiração;
Que os teus olhos fossem ingênuos
como a expressão da tua face.
E tua boca, - uma fruta de vez
Que o pássaro do desejo tivesse respeitado...

Bj enoooooorme!

2 comentários:

  1. li
    belas poesias como sempre
    poeta

    parabéns ficou divino
    te amo

    ResponderExcluir